terça-feira, 22 de abril de 2014

Transar faz bem para a saúde?


Faz bem, sim. Apesar da energia que o nosso corpo gasta com o ato sexual, com a produção de espermatozóides e com o ciclo reprodutivo da mulher, o investimento compensa. Do ponto de vista evolutivo, pode-se dizer que só transamos porque o sexo faz bem. De acordo com o psicólogo John Tooby, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, a reprodução sexuada só existe na espécie humana - e em várias outras - porque garante a nossa sobrevivência. Se não trocássemos genes uns com os outros, seríamos um prato cheio para os micróbios, entre outras ameaças. A variação genética impede que uma doença causada por um único vírus, por exemplo, acabe com toda a raça humana. Se transar traz benefícios, ficar só na vontade por muito tempo pode prejudicar a saúde. "A falta de sexo traz conseqüências para o homem. Ocorre um efeito conhecido como blue balls, no qual os testículos ficam doloridos devido ao acúmulo de líquidos. E, se a abstinência não for um ato deliberado, também pode trazer efeitos psicológicos negativos, como depressão e ansiedade", afirma o psicólogo Oswaldo Rodrigues Jr., diretor do Instituto Paulista de Sexualidade. Já o excesso de rala-e-rola não chega a fazer mal. "Só há problema quando isso se torna o foco das ações no cotidiano", afirma a psicóloga Iracema Teixeira, da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. Agora que você já sabe que o sexo é um remédio natural e prazeroso, só não vá esquecer de se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis e contra uma gravidez indesejada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário